Despoina Damale

Um pequeno oásis para os amigos





Arquivos:





Fale Comigo

3.7.06

 



O núcleo do cristianismo


Vivemos numa época em que a imagem visual tem uma perigosa onipresença. Está aí, por exemplo, a maciça cobertura da Copa do Mundo, realizada pela televisão. Quantos de nós não fomos envolvidos de modo apaixonado pelos emocionantes lances dos jogos, mormente pelos disputados pelo time brasileiro na distante Alemanha?

Esse magnetismo exercido pela imagem visual acaba por desviar-nos de um habitus que devemos ter adquirido em nossa escolaridade do primeiro e do segundo grau (supondo que tais níveis de ensino tenham sido bem administrados nas respectivas escolas), qual seja: o habitus da leitura de livros.

Em seu excelente MERE CHRISTIANISM, traduzido pela Martins Fontes sob o título CRISTIANISMO PURO E SIMPLES, o autor inglês C.S.Lewis nos lembra a importância da leitura de livros como um dos apoios à nossa permanente vocação, a de nos tornarmos alter Christus , um “outro Cristo”. E aqui chegamos ao tema que deu o título a este “post”.

Lewis, no livro citado, usando uma linguagem simples, acessível a um leitor de mediana cultura, fala sobre essa dramática vocação, tantas vezes esquecida por nós. Como escreve o então cardeal Ratzinger, hoje Bento XVI, muitas vezes confundimos o cristianismo em geral, e em particular o catolicismo, com um simples conjunto de regras morais. Esquecemo-nos do mistério nuclear desse fato essencial da história humana: a Encarnação do Verbo, a descida da segunda Pessoa da Santíssima Trindade.


[Não devemos confundir habitus, que é uma virtude, com hábito, que é mera repetição mecânica].



posted by ruy at 4:05 da tarde

 

O núcleo do cristianismo


Vivemos numa época em que a imagem visual tem uma perigosa onipresença. Está aí, por exemplo, a maciça cobertura da Copa do Mundo, realizada pela televisão. Quantos de nós não fomos envolvidos de modo apaixonado pelos emocionantes lances dos jogos, mormente pelos disputados pelo time brasileiro na distante Alemanha?

Esse magnetismo exercido pela imagem visual acaba por desviar-nos de um habitus que devemos ter adquirido em nossa escolaridade do primeiro e do segundo grau (supondo que tais níveis de ensino tenham sido bem administrados nas respectivas escolas), qual seja: o habitusda leitura de livros.

Em seu excelente MERE CHRISTIANISM, traduzido pela Martins Fontes sob o título CRISTIANISMO PURO E SIMPLES, o autor inglês C.S.Lewis nos lembra a importância da leitura de livros como um dos apoios à nossa permanente vocação, a de nos tornarmos alter Christus, um “outro Cristo”. E aqui chegamos ao tema que deu o título a este “post”.

Lewis, no livro citado, usando uma linguagem simples, acessível a um leitor de mediana cultura, fala sobre essa dramática vocação, tantas vezes esquecida por nós. Como escreve o então cardeal Ratzinger, hoje Bento XVI, muitas vezes confundimos o cristianismo em geral, e em particular o catolicismo, com um simples conjunto de regras morais. Esquecemo-nos do mistério nuclear desse fato essencial da história humana: a Encarnação do Verbo, a descida da segunda Pessoa da Santíssima Trindade.


[Não devemos confundir habitus, que é uma virtude, com hábito, que é mera repetição mecânica].




posted by ruy at 3:49 da tarde

 

Powered By Blogger TM